Reino da Virgem Mãe de Deus

LiturgiaEucaristia e Liturgia


Missal: Revisão da tradução

Autor: Francisco Dockhorn
Publicação: Novembro de 2009

Muito temos escrito sobre o valor da língua latina na celebração do Santo Sacrifício da Missa. E muitos tem buscado o latim por, além dos significados de universalidade católica, solenidade e beleza litúrgica, procurar a pureza do Rito Romano, devido aos trechos da atual tradução brasileira em vigor que poderão ser revisados.

Evidentemente, esses trechos NÃO tiram a validade ou a licitude da Santa Missa, que é a Renovação do Santo Sacrifício de Nosso Senhor (Catecismo da Igreja Católica, n. 1356-1372).

E estas imprecisões poderão ser revisadas à seu tempo, e uma delas (na Consagração) Roma já determinou que esteja corrigida na próxima versão brasileira do Missal (documento da Sagrada Congregação para o Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos, Prot. N. 467/05/L, 17 de outubro de 2006); este documento se encontra mais abaixo, na íntegra.

Exemplos desses trechos da tradução ainda em vigor:

- Na Consagração, foi traduzido o Sangue derramado "pro vobis et pro MULTIS" ("por vós e por MUITOS") para "por vós e por TODOS";

- Nas respostas dos fiéis em partes dialogadas, "Et cum spíritu tuo" ("E com teu espírito") por "Ele está no meio de nós";

- Após o Ofertório, "Orate, fraters: ut ***meum ac vestrum sacrifícum*** (***o meu e o vosso sacrifício***) acceptábile fiat apud Deum Patrem omnipoténtem", para "Orai, irmãos, para que o ***nosso*** sacrifício seja aceito por Deus Pai todo-poderoso" (no latim, distingue-se então o sacríficio do sacerdote - que é "Persona Christi", "Pessoa de Cristo" - do sacrifício dos fiéis);

- Na Oração Eucarística 1 (o "Cânon Romano"), na frase que alude Nosso Senhor na instituição do Santíssimo Sacramento, ele traduz "Santas e Veneráveis Mãos" (literal do latim: "Sanctas Ac Venerabilis Manus Suas") para simplesmente por "Mãos”.

Abaixo, segue citado documento citado, na íntegra....

--------

 

CONGR. CULTO DIVINO SOBRE A TRADUÇÃO DA EXPRESSÃO "PRO MULTIS"
Por Cardeal Francis Cardeal Arinze

Carta da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dosSacramentos sobre a tradução da expressão "pro multis"

Congregatio de Cultu Divino et Disciplina SacramentorumProt. N. 467/05/L

 

Roma, 17 de outubro de 2006

Sua Eminência/Excelência,

 

Em julho de 2005, esta Congregação para o Culto Divino e a Disciplinados Sacramentos, por acordo com a Congregação para a Doutrina da Fé,escreveu a todos os Presidentes das Conferências Episcopais pararequisitar sua opinião ponderada acerca da tradução, para os diversosvernáculos, da expressão pro multis na fórmula para a consagração doPreciosissimo Sangue durante a celebração da Santa Missa (ref.Prot.N. 467/05/L de 9 de julho de 2005).

As respostas recebidas das Conferências Episcopais foram estudadaspelas duas Congregações e um relato foi feito para o Santo Padre. Soba direção dele, esta Congregação agora escreve a SuaEminência/Excelência nos seguintes termos:

1. Um texto correspondente às palavras pro multis, transmitido pelaIgreja, constitui a fórmula em uso pelo Rito Romano em Latim desde osprimeiros séculos. Nos últimos 30 anos aproximadamente, alguns textos em vernáculo aprovados contiveram a tradução interpretativa "portodos", "per tutti", ou equivalentes.

2. Não há absolutamente qualquer dúvida sobre a validade das Missascelebradas com o uso de uma fórmula devidamente aprovada contendo a fórmula equivalente a "por todos", conforme a Congregação para aDoutrina da Fé já declarou (cf. Sacra Congregatiopro Doctrina Fidei,Declaratio de sensu tribuendo ad probationi versionum formularumsacramentalium, 25 Ianuarii 1974, AAS 66 [1974], 661). Com efeito, a fórmula "por todos" indubitavelmente corresponderia a umainterpretação correta da intenção do Senhor expressada no texto. É umdogma de fé que Cristo morreu na Cruz por todos os homens e mulheres(cf. João 11:52; 2 Coríntios 5,14-15; Tito 2,11; 1 João 2,2).

3. Há, contudo, muitos argumentos em favor de uma tradução mais precisa da fórmula tradicional pro multis :

a. Os Evangelhos Sinóticos(Mateus 26,28; Marcos 14,24) fazemreferência específica a "muitos" pelos quais oSenhor oferece o Sacrifício, e essa formulação foi enfatizada poralguns estudiosos bíblicos em conexão com as palavras do profetaIsaías (53, 11-12). Teria sido perfeitamente possível aos textosevangélicos terem dito "por todos" (por exemplo, cf. Lucas 12,41);todavia, a fórmula apresentada na narrativa da instituição é "pormuitos", e as palavras foram fielmente traduzidas assim na maioriadas versões modernas da Bíblia.

b. O Rito Romano em Latim sempre disse pro multis e nunca pro omnibusna consagração do cálice.

c. As anáforas dos diversos Ritos Orientais, sejam em grego, siríaco,armênio, línguas eslavas, etc.,contêm o equivalente verbal do latimpro multis em suas respectivas línguas.

d. "Por muitos" é uma tradução fiel de pro multis, ao passo que "portodos" é, ao invés, uma explicação do tipo que pertence propriamenteà catequese.

e. A expressão "por muitos", embora permaneça aberta à inclusão decada pessoa humana, refletet ambém o fato de que essa salvação não éefetuada de um modo automático, sem o concurso da vontade ou aparticipação de cada um; pelo contrário, o fiel é convidado a aceitarna fé o dom oferecido e a receber a vida sobrenatural que é dadaàqueles que participam neste mistério, pondo também isso em práticana vida, para ser contado no número daqueles "muitos" aos quais o texto faz referência.

f. De acordo com a Instrução Liturgiam Authenticam, deve haver oesforço para uma maior fidelidade aos textos latinos contidos nasedições típicas.As Conferências dos Bispos daqueles países onde a fórmula "por todos"ou sua equivalente está atualmente em vigor são, portanto,requisitadas a realizar a catequese necessária aos fiéis sobre essaquestão nos próximos um ou dois anos, para prepará-los para aintrodução de uma tradução vernacular precisa da fórmula pro multis(ou seja, "por muitos", "per molti", etc.) na próxima tradução do Missal Romano que os Bispos e a Santa Sé aprovarem para uso em seupaís.

Com a expressão de minha alta estima e respeito, permaneço,

Sua Eminência/Excelência,

Devotamente Seu em Cristo, Francis Cardeal Arinze, Prefeito